Mais História(s)

No passado dia 29 de março de 2021, a INCM fez mais uma vez história, e não é fácil fazermos história numa empresa que tem o privilégio de contar com duas instituições como são a Casa da Moeda com mais de sete séculos de história e com a Imprensa Nacional que já conta com mais de duzentos cinquenta anos. Mas fizemos, com o evento da entrega dos prémios IN3+, o maior prémio de inovação em Portugal que premeia ideias e projetos de inovação, com ligação direta ou indireta às atividades que são exercidas pela INCM.

Este evento de entrega dos prémios IN3+ aos três vencedores é o culminar, a face mais visível de todo um trabalho conjunto, de uma empresa singular em Portugal, que junta indústria, inovação e cultura e que em todas estas vertentes produz, cria e acrescenta valor. Valor a Portugal, valor aos portugueses e valor a mercados internacionais, com uma já substancial percentagem de exportação face ao seu volume de negócios.

A presença conjunta do Presidente da República e o do Primeiro Ministro, numa altura particularmente sensível, do ponto de vista de saúde pública que tem limitado bastante as presenças, em conjunto, das duas figuras mais importantes da nossa democracia, revela a importância da Imprensa Nacional Casa da Moeda e fundamentalmente dos seus mais de setecentos trabalhadores. A INCM não é apenas uma empresa, é muito mais do que uma empresa. É uma História, são histórias que se confundem com a memória de Portugal e dos portugueses.

A Imprensa Nacional, desde a sua fundação teve um papel preponderante naquilo que já se poderia apelidar como inovação, na sua reinvenção constante, permitindo não só a manutenção das suas atividades operacionais essenciais que garantiam a sua existência, mas também uma entidade cujo papel na sociedade é de suma relevância. O mesmo podemos dizer com a história de mais de sete séculos da Casa da Moeda. Esta última sempre se posicionou como a entidade de referência na sua missão de soberania, com a produção e a cunhagem de Moeda. Tal como a Imprensa Nacional, a Casa da Moeda soube constantemente renovar-se e adaptar-se, procurando acompanhar, e em muitos casos liderar, o processo de modernização dos principais documentos oficiais das portuguesas e dos portugueses. E, acompanhado esse requisito de inovação, inscrito no ADN da instituição, culminou com a mais recente missão de transição digital da sociedade portuguesa.

É com este legado e com o respeito por uma história multissecular destas duas instituições históricas, que nos devemos orgulhar de mais uma vez fazermos história ao devolver à sociedade, aquilo que esta nos dá, através do conhecimento, da inovação, da experiência. Este legado e esta constante posição de liderança é consequência de um espírito e místicas únicas desta casa. Um ambiente criado, fomentado e incentivado por centenas de trabalhadoras e trabalhadores que sentem, vivem, orgulham-se de ser INCM.

São as pessoas que fazem esta(s) história(s). A cultura e as pessoas são o que de mais original existe e em momentos de crise, é investindo nas pessoas que se fortalece uma organização. São as pessoas que criam a história e marcam o desenvolvimento da organização. Somos todos nós que preparamos o futuro da INCM, cumprindo a sua maior missão, estar presente no dia a dia de todos nós.

Pedro Cabrita, Diretor de Comunicação e Relações Institucionais da INCM

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...