Editorial Maio 2021

No desempenho da sua missão a equipa da DDP assume como compromisso retribuir o importante e fundamental contributo de todas as trabalhadoras e trabalhadores para o sucesso da INCM, colocando à disposição os mecanismos e instrumentos necessários ao respetivo desenvolvimento profissional, sem descurar o bem-estar pessoal, alcançado por diversas medidas, com o incontornável contributo dos Serviços Sociais, e o reforço dos valores éticos centrados na comunicação e atenção às pessoas.

A adaptação da empresa às rápidas mudanças da economia e da sociedade, de modo a alcançar elevados níveis de competitividade no mercado, implica uma forte aposta no desenvolvimento das pessoas, sem as quais nada é possível. E o desenvolvimento das pessoas tem diferentes eixos de atuação, a promoção de mecanismos de mobilidade que permitam a afetação a funções onde as trabalhadoras e trabalhadores se sintam mais realizados, a qualificação e a forte aposta em programas formativos, que permitam a apropriação de princípios e valores da empresa, como os resultantes do Código de Ética ou a aquisição de conhecimentos técnicos e específicos de cada área, incluindo o alinhamento com o processo de inovação e internacionalização. Mas o desenvolvimento também implica a constante preocupação com o bem-estar físico e mental, nomeadamente associado a políticas de promoção da conciliação da vida pessoal e profissional, de que é exemplo a possibilidade de adesão ao regime do teletrabalho, fora do contexto pandémico.

Os Serviços Sociais, nomeadamente o subsistema de saúde solidário, com quotização indexada à remuneração, sem diferenciação de benefícios, é algo de que nos devemos orgulhar e que, aliado à promoção da diversidade e à implementação de medidas e de inclusão e de igualdade de género, fazem da INCM uma organização focada nas pessoas.

Contudo, o desenvolvimento das pessoas não pode ser encarado como um processo plenamente consolidado. Pelo contrário, requer e exige permanente atenção às necessidades das trabalhadoras e trabalhadores e uma intensa política de comunicação e transparência, pois só assim pode ser alcançada mudança e transformação da organização. E no caso da INCM este desafio assume uma particularidade especial, na medida em que a diversidade das atividades tem imediato reflexo na abordagem e na definição dos procedimentos dos diferentes temas relacionados com as pessoas, exigindo da equipa da DDP uma constante atenção às especificidades de cada unidade orgânica. Estes são os grandes desafios que se colocam e que na DDP abraçamos sob o lema “Mais Pessoas”.

Sílvia Gonçalves, Diretora de Desenvolvimento de Pessoas na INCM Imprensa Nacional – Casa da Moeda

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...